quarta-feira, 3 de junho de 2015

O Disco de 1983


Postagem feita especialmente para o Portal Clube do Rei no dia 04 de Julho de 2014



Lado A
1.    O Amor é  a Moda (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjo Charlie Callelo (Cordas) / Jimmy Wisner
Roberto e Erasmo usam aqui os termos “antiquado” e “quadrado”. Isso talvez se deva ao péssimo hábito de rotular a música romântica de brega. Entendo por brega canções características da década de 1970 com apelo forte, vindo da região norte do Brasil. Nunca achei o trabalho de Roberto Carlos brega, mas infelizmente muita gente acha. Roberto sempre cantou o amor e sempre o que ele acredita, ele só canta as coisas que acredita. O termo “antiquado” aqui se deve ao “amar e demonstrar o amor é fora de moda” o que não é verdade. Roberto e Erasmo já tinham falado disso em Amante à Moda Antiga. A letra de “O Amor é a Moda” é excelente.

2.    Recordações e Mais Nada  (Roberto Carlos / Fred Jorge) Arranjo Eduardo Lages
Parceria de Roberto e Fred Jorge. O baixo dessa música está com uma equalização diferente e moderna. A letra fala de um amor que “...se consumiu por inteiro como um cigarro esquecido, na borda de algum cinzeiro”. Iguais aqueles cigarros que a gente esquece e vai na cozinha, ou sai de casa. Eu pelo menos sou neurótico com isso e sempre volto pra certificar-me. Grande arranjo de Eduardo Lages.

3.    Estou Aqui  (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjo: Jimmy Wisner
Grande mensagem ecumênica (não se prende a uma religião específica, pois fala de Jesus Cristo). O lado cristão de Roberto é uma característica muito forte. Lembro do amigo e diretor de Roberto o Vanucci falando isso em um especial de fim de ano: “Essa coisa do Cristo do Roberto... “ Outra forma de abordagem na letra é “Cristo, meu amigo” nos leva realmente a refletir, Jesus Cristo é sim nosso amigo.

4.    Preciso De Você  (Mauro Motta / Eduardo Ribeiro)  Arranjo: Artie Butler
Como em todos os discos de Roberto, a diversidade de ritmos, estilos é presença marcante. A letra fala de um relacionamento terminado (faz tanto tempo...) mas de uma possível volta (...a me aceitar de novo / como já foi um dia...). O arranjo também é padrão RC de qualidade. Cria uma atmosfera única para a música. Uma música forte do disco.

5.    Me Disse Adeus  (Eduardo Lages / Paulo Sérgio Valle) Arranjo: Eduardo Lages
Bela canção da dupla Lages e Valle.



Lado B
1.    Você Não Sabe  (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjo: Artie Butler
A estrutura dos acordes, o jeito de cantar me lembra um pouco Aquela Casa Simples gravada em 1986.

2.    O Côncavo e o Convexo   (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjo: Charlie Callelo (Cordas e Metais)
O erotismo dá as caras com uma letra que usa e abusa de um recurso já visto em Proposta, Seu Corpo, Cama e Mesa.

3.    No Mesmo Verão  (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjos: Charlie Callelo (Base e Cordas) Torrie Zito (Metais)
Um dos grandes momentos do disco, uma música pra cima, contagia, um belo solo de sax, perfeito casamento entre a banda, letra e música. Música que poderia ser revisitada nos shows atuais.

4.    Perdoa  (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)  Arranjo: Edson Frederico
A dupla Roberto e Erasmo atacam de jazz. Um estilo que creio já ter comentado bastante aqui no blog. Jazz gravado por Roberto é sempre benvindo.

5.    A Partir Desse Instante  (Maurício Duboc / Carlos Colla)  Arranjo: Al Capps
O disco fecha com uma música da dupla Duboc e Colla com arranjo de Al Capps, com uma letra que fala da mudança. Um disco conceitual, pois trata de todas as situações do amor.

O disco de 1983 é um disco conceitual. Deixo bem claro aqui que exponho o que o disco significa pra mim. Um disco bastante equilibrado com relação aos estilos das músicas. Abre com uma música bem marcante com coral, metais, um arranjo que (como diria Paul McCartney no documentário Flaming Pie: Nada que nos dê pesadelos a noite). “O Amor é a Moda” fala de todas as faces do amor, do quanto é bom ser romântico. Esse disco não é um disco que esquenta a cabeça. Das dez músicas do disco, sete são da dupla Roberto e Erasmo. Nesse disco falando um pouco também sobre “Adeus”, uma falando de “Jesus Cristo”, o momento reflexão em “Você Não Sabe”, o momento “Vai que cola” em “Perdoa”, o momento erótico em “O Côncavo e o Convexo” com um arranjo maravilhoso. “No Mesmo Verão” uma música que contagia, impossível ouvi-la e não acompanhá-la cantando ou batucando em qualquer coisa que esteja perto. E fecha com a magistral “A Partir Desse Instante” que é um praticamente (a fila anda). A capa tem o design de capa dupla, dessa vez com uma moldura um pouco mais larga que nos anos de 81, ou azul em 82. Tudo que Roberto faz é minuciosamente estudado, nada é por acaso. Um ótimo disco que eu demorei a ter.

Gravado nos estúdios United Western – A & M – Los Angeles
Eras – Hit Factory, RCA, Nova York
Sigla, Rio de Janeiro


Fotos: Luis Garrido


Nenhum comentário:

Postar um comentário