quinta-feira, 1 de maio de 2014

ROBERTO CARLOS EM RITMO DE AVENTURA - 1967

Excepcionalmente dessa vez coloquei a foto de duas capas encontradas na internet. A primeira é praticamente o mesmo tom de cores que tenho no meu LP, a capa de baixo vem com as cores mais fortes. Qual vocês preferem?


Roberto Carlos em Ritmo de Aventura 1967

01.   Eu Sou Terrível (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
02.   Como é Grande o Meu Amor por Você (Roberto Carlos)
03.   Por Isso Corro Demais (Roberto Carlos)
04.   Você Deixou Alguém a Esperar (Edson Ribeiro)
05.   De Que Vale Tudo Isso (Roberto Carlos)
06.   Folhas de Outono (Francisco Lara/Jovenil Santos)

Lado B

01.   Quando (Roberto Carlos)
02.   É Tempo de Amar (José Ari/Pedro Camargo)
03.   Você Não Serve Pra Mim (Renato Barros)
04.   E Por Isso Eu Estou Aqui (Roberto Carlos)
05.   O Sósia (Getúlio Cortes)
06.   Só Vou Gostar de Quem Gosta de Mim (Rossini Pinto)


01.   Eu Sou Terrível (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Música que abre o primeiro filme, empolgante, vibrante e numa perseguição incrível de carro pela estrada de subida ao Cristo Redentor no RJ. Roberto está fugindo dos bandidos. A letra é bem rebelde, Roberto canta de forma agressiva.



02.   Como é Grande o Meu Amor por Você (Roberto Carlos)
Várias vezes foi dito pelo Dudu Braga em seu programa de rádio que essa canção é a primeira música que o papai Roberto fez para a mamãe Nice. Roberto até hoje canta nos shows. Sempre diz que essa música retrata o que ele, Roberto sente pelo público.

03.   Por Isso Corro Demais (Roberto Carlos)
No filme depois de Roberto tirar satisfações com o diretor do filme (Roberto Farias – porém interpretado pelo irmão Reginaldo Farias) sobre os bandidos estarem com metralhadoras, frase do Roberto “Eu não sou James Bond nem nada...” Roberto desce a estrada do Cristo Redentor com essa música, para o carro e lembra: “Esse filme começa em São Paulo, rapá!”

04.   Você Deixou Alguém a Esperar (Edson Ribeiro)
Música que não está no filme,mas tem uma bela introdução, uma letra romântica.

05.   De Que Vale Tudo Isso (Roberto Carlos)
De que vale dinheiro, fama, sucesso, céu azul e não ter a pessoa amada ao lado? No filme Roberto está em Nova York andando de carro cnversivel. Há um exemplar da Revista Sétimo Céu em que mostra Roberto em solo americano.

06.   Folhas de Outono (Francisco Lara/Jovenil Santos)
Essa eu ouvi muito depois do fim do meu primeiro namoro, como eu era bobo. “As folhas quando caem, nascem outras no lugar”, jeito sutil de falar o hoje popular “A Fila Anda”.


Lado B

01.   Quando (Roberto Carlos)
Roberto cantando em cima de um prédio em São Paulo, com banda. Há quem diga que quando os Beatles tocaram no telhado da Apple em Saville Row em 1969, Roberto já tinha feito o primeiro Rooftop Concert em 1967.



02.   É Tempo de Amar (José Ari/Pedro Camargo)
No filme Roberto está pescando, relaxando ou em contato com as fãs. Respondendo cartas no seu apartamento, no mesmo estúdio no prédio em São Paulo onde morava na época da Jovem Guarda.

03.   Você Não Serve Pra Mim (Renato Barros)
Nos discos anteriores Roberto já havia manifestado o seu lado rock em Pega Ladrao, Não é Papo Pra Mim, Os Sete Cabeludos, Note de Terror, Negro Gato entre outros. Agora nesse disco além de Eu Sou Terrível, Você não Serve Pra  Mim chega quase perto de Rain dos Beatles. Na levada e na condução. A distorção ainda era uma coisa nova em terras brasileiras. Aliás tudo no Brasil sempre chega tarde. Mas falando de música nacional, rock nacional, esse é um ótimo rock. Cena do filme, Roberto dá uma bela de uma canseira nos bandidos.

04.   E Por Isso Eu Estou Aqui (Roberto Carlos)
Tenho uma grande identificação com essa cena do filme. Roberto ETA compondo com um violão. Quando encontra a frase e o acorde certos, anota em uma folha com o violão virado com as cordas pra baixo e a folha sobre o tampo. Quando eu compunha eu fazia assim também.



05.   O Sósia (Getúlio Cortes)
A música não está no filme, mas a letra
fala “descobri um cara que tinha a minha cara”. Sósia, quem sabe já não se referia aos covers. Música do mesmo compositor de Negro Gato entre outras.

Roberto e o diretor Roberto Farias, quem faz o papel do diretor é seu irmão Reginaldo Faria. 


06.   Só Vou Gostar de Quem Gosta de Mim (Rossini Pinto)
O disco fecha com um recado, uma música na medida para quem teve um relacionamento terminado há pouco tempo. “Não quero com isso dizer que o amor não é um bom sentimento”. É aquela história do cupido burro, todo mundo já teve um.


Considerações Finais
Roberto Carlos em Ritmo de Aventura é um disco que a princípio é uma trilha sonora de filme. A exemplo de A Hard Day´s Night e Help dos Beatles e dos filmes de Elvis Presley até pelo menos 1966, o rock nacional também entraria para o setor cinematográfico.
Agora, sobre o disco. Roberto aqui já era sinônimo de sucesso absoluto. O som da banda RC7 estava afiadíssimo. A evolução da qualidade da banda vinha melhorando a cada ano. Os arranjos aqui estão mais elaborados. Por outro lado o disco fecha a era do Iê Iê Iê com chave de ouro. Fecha, Baratta? Sim, essa é minha modesta e humilde opinião, pois o disco seguinte O Inimitável de 1968, o que vem na sequência de 1969 mostram um Roberto Carlos mais adulto e passeando por outros estilos musicais como o soul e o samba. A capa do disco segue uma linha bem semelhante aos discos de trilhas sonoras dos discos de Elvis. Na capa Roberto está em um helicóptero e na contra-capa fotos de cenas do filme. Fotos de Darcy Trigo.