quarta-feira, 23 de abril de 2014

O DISCO DE 1982

Lado A
1.       Amiga (Roberto Carlos / Erasmo Carlos) – Participação Especial Maria Bethânia
2.       Coisas Que Não Se Esquece (Mauro Motta / Eduard Ribeiro)
3.       Fim de Semana (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
4.       Pensamentos (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
5.       Quantos Momentos Bonitos (Mauricio Duboc / Carlos Colla)

Lado B
1.       Meus Amores da Televisão (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
2.       Fera Ferida (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
3.       Como é Possível (Sérgio Sá / Isolda)
4.       Recordações (Edson Ribeiro / Helena dos Santos)
5.       Como Foi (Eduardo Lages / Paulo Sérgio Valle)

Lado A
1.       Amiga (Roberto Carlos / Erasmo Carlos) – Participação Especial Maria Bethânia
O primeiro dueto de Roberto em disco. Maria Bethânia é a primeira cantora a dividir os vocais com Roberto em um disco dele. A música é um diálogo entre um casal de amigos e o objetivo dessa conversa é “abrir os olhos” da pessoa amiga depois de um fim de relacionamento. Tema que seria revisitado em “Amigo Não Chore Por Ela” em 1996 e “Arrasta uma Cadeira” com Chitãozinho e Xororó em 2005. O arranjo de Charles Calello dá uma atmosfera brilhante à música. As mudanças de tom para Roberto e Bethânia cria um resultado bonito na canção.
2.       Coisas Que Não Se Esquece (Mauro Motta / Eduard Ribeiro)
Cartas, fotografias, lembranças, as coisas que não se esquece nem com o passar do tempo. A melodia do refrão lembra um pouco a canção “Procura-se” de 1980. O arranjo é de Torrie Zito. O mesmo responsável pelas orquestrações do disco Imagine de John Lennon em 1971.
3.       Fim de Semana (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
Com outro andamento, mas a harmonia da introdução é a mesma de “O Portão” de 1974, “Amante à Moda Antiga” de 1980, “Hoje é Domingo” de 1993. O arranjo consiste no acorde puro, sétima aumentada e sexta. A letra fala do fim de semana com os filhos, passieo, parque, lanche e tudo mais que o fim de semana proporciona. No especial Roberto passeia com seus filhos em carros de girar como um carrossel. Nem é preciso dizer que isso me remete à minha infância em que papai ia direto comigo aos parques, carrinho de bate-bate, tiro ao alvo, melhor trocar de música antes que eu comece a chorar aqui. O arranjo de base é de Jimmy Wisner e arranjos de cordas e metais de Eduardo Lages
4.       Pensamentos (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
Música revisitada no show de Jerusalém. “Os motivos escondidos na razão de estar aqui” na Terra. Perguntas muitas vezes sem respostas que nos fazemos. “São levadas ao espaço” e “de lá eu tenho todas as respostas que eu pedi”. A mensagem é ecumênica, pode ser ouvida e apreciada seja lá qual for a sua religião. Arranjo de Charles Calello.
5.       Quantos Momentos Bonitos (Mauricio Duboc / Carlos Colla)
Uma das mais bonitas declarações de amor em forma de música. A prova de que o repertório do Roberto não fala só de perda. Roberto aqui canta sobre o amor bem sucedido, atual e que tem tudo para continuar rendendo frutos. Arranjo de Al Capps.

Lado B
1.       Meus Amores da Televisão (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
Roberto expõe aqui o lado telespectador com todos os prós e contras que o personagem pode passar. Se apaixona pela mocinha da novela, a falta de luz, a espera pelos próximos capítulos. No especial o clipe é ambientado em um sallon como nos filmes de bang bang. E é justamente essa a visão que eu lembro de um natal na casa da minha avó com a TV ligada, todo mundo falando alto e eu emburrado no sofá querendo ouvir. Ano passado quando finalmente tive acesso a esse especial, desliguei o telefone fixo, o celular, desliguei a campainha e pude assistir sossegadamente.
2.       Fera Ferida (Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
Mesmo quem não conhece ou não curte RC, se identifica com uma ou mais músicas de seu repertório. Essa é sobre fim de relacionaemnto, dqueles que a pessoa literalmente sai de casa com a roupa do corpo. Roberto e Erasmo vão fundo nessa letra. Arranjo de Lincoln Olivetti
3.       Como é Possível (Sérgio Sá / Isolda)
“E tanto a gente se adivinha”... “que a gente já se conhecia e se achou outra vez”. Isso me faz lembrar algo que RC dizia no especial “Pra Sempre” de 2003: “São as almas que se encontram”. Destaque para a guitarra da introdução. Arranjo de Charles Callelo.
4.       Recordações (Edson Ribeiro / Helena dos Santos)
Paredes nuas e lembranças que são suas, sentir o perfume pelo ar, diante da porta que se abriu, tudo isso deve ser uma barra, mas a música seria um perfeito link para “Mudança” de 1991. Arranjo de Torrie Zito.
5.       Como Foi (Eduardo Lages / Paulo Sérgio Valle)
O disco de 1982 fecha com chave de ouro com essa canção que repete o tema já dito nas canções anteriores. A mágica é que existem várias formas de falar de amor, seja ele bem ou mal sucedido. Arranjo de Lou Forrestiere.

Considerações finais
O disco de 1982 é um disco que tenta repetir o sucesso do disco de 1981. Em parte até consegue porque conseguiu emplacar bastante músicas nas rádios, Meus Amores da Televisão era algo que eu sempre esperava tocar na Rádio América que minha mãe ouvia. Esse disco foi um que eu demorei muito tempo para comprar. Era uma época em que não tinha internet para conhecer disco em questão de minutos. Ou alguém emprestava, ou gravava em uma fita cassete, bons tempos. O disco vem com uma foto de Roberto a bordo de um barco, uma fina moldura azul, o que se tornaria característica em seus discos da década de 80, porém com moldura branca. Há algum tempo atrás vi uma foto em uma rede social de uma foto de Roberto, Myrian Rios e mais uma pessoa, que agora não me recordo quem exatamente.
Fotos: Luis Garrido

Pra terminar a foto da Contra Capa, mais algumas fotos da mesma sessão porém em outros lançamentos. 








terça-feira, 8 de abril de 2014

O DISCO DE 1991

01 – Todas as manhãs (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
02 – Primeira Dama (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
03 – Se Você Quer (Si Piensas... Si Quieres...) Roberto Livi/Alejandro Vezzani
        Adaptação para o Português (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
04 – Não me Deixe (Marcos Valle/Carlos Colla)
05 – OH, OH, OH, OH (Roberto Livi/Salako)

Lado B
01 – Luz Divina (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
02 – Pergunte Pro Seu Coração (Michael Sullivan/Paulo Massadas)
03 – Diga-Me Coisas Bonitas (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
04 – Mudança (Biafra/Nilo Pinta/Aloysio Reis)

Lado A

01 – Todas as manhãs (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo de Base: Ary Sperling/Arranjo de Cordas: Charlie Calello
Roberto abre o disco de 91 com essa canção que envolve toda pessoa que a escutar. A letra da dupla fala das lembranças da pessoa amada, lembranças que nos acompanham durante todo dia, os trechos (tudo o que eu vejo de bonito, sempre nos lugares onde vou, paro num sinal e olho a rua na esperança de te ver) enriquecem a letra da canção. O refrão da música é algo que fica martelando na cabeça da gente. Aqui vemos uma prova de que Roberto e Erasmo sabem compor canções comerciais, porém de qualidade. Versatilidade que não vemos nas maravilhas de (artistas) de hoje em dia. Na comunidade O Rei Roberto Carlos, uma pessoa de lá comentava isso esses dias.

02 – Primeira Dama (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo: Charlie Calello
Quando ouvi isso pela primeira vez, juro que pensei na Roseanne Collor, ela era a imagem de primeira dama que me vinha na cabeça e de fato era. Mas em 91 se lembrarmos bem, fomos presenteados com um especial em 19 de abril, um Globo Repórter inteiro dedicado ao rei em virtude dos seus 50 anos. Uma fã pergunta da rua quem era o novo amor de Roberto, ele sorridente dizia: Daqui a algum tempo eu te revelo. Tratava-se de Maria Rita Simões. Ela com certeza foi a Primeira Dama do rei.

03 – Se Você Quer (Si Piensas... Si Quieres...) Roberto Livi/Alejandro Vezzani
        Adaptação para o Português (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo: Julian Navarro
A canção tem a participação mais do que especial de Fafá de Belém. Se trata de uma canção do já conhecido compositor Roberto Livi, amigo de Roberto Carlos, autor de Se O Amor se Vai entre outras. Fafá de Belém é a terceira pessoa a fazer um dueto com Roberto em um disco de fim de ano. Os outros dois tinham sido o próprio Erasmo em Papo de Esquina em 88 e Maria Bethânia em 82 na canção Amiga. A letra gira em torno de situações de condições para uma volta do casal. Situação bem comum na molecada de hoje, aliás, nem tanto, pois hoje em dia não se namora mais, se fica.


04 – Não me Deixe (Marcos Valle/Carlos Colla)
Arranjo de Base: Charlie Calello/Arranjo de Cordas: Eduardo Lages
Essa música eu particularmente sempre a achei meio chata no começo. Mas o decorrer dela e a letra tornam a canção linda. A canção fala em loucuras feitas para ficar do lado da pessoa amada. Aliás, a música é um pedido para que a pessoa não se vá. A parte do trecho (Não se afaste de mim, fica comigo, Sei o que te digo) é uma crescente impecável e ficou muito bem na música. Roberto então aqui surge assoviando, coisa que não ouvíamos a muito tempo em um disco seu.

05 – OH, OH, OH, OH (Roberto Livi/Salako)
Arranjo: George Calandrelli
Mais uma da dupla Livi e Salako. Aqui temos 80% dos instrumentos de verdade, o que eu pensava ser metais, é uma Programação por Computador por Gregg Bartheld. Na bateria temos os Carlos Bala. A canção tem um suíngue gostoso, dá vontade de dançar até, (pra quem sabe é ótimo mesmo), destaque para a guitarra com Chorus de Paul Jackson Jr. A letra é interessante, do tipo, (Eu te conheço, não me pergunte de que lugar, só me lembro de uma pessoa quando é assim, Se me deixas eu te acompanho em teu caminhar) um estilo até agressivo de letra bem do tipo cafajeste, Roberto se dá bem cantando assim. Não comparando, mas lembrando de Não Adianta Nada de 73 do Fred Jorge, aquela ficou perfeita.



Lado B

01 – Luz Divina (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo de Base: Charlie Calello/Arranjo de Cordas: Eduardo Lages
Creio que a última canção religiosa antes dessa tenha sido Aleluia em 84, pois em 85 teve Paz na Terra (ô coisa boa de se ler não?), teve também Quero Paz em 90, mas nenhuma canção do gênero. Roberto e Erasmo aqui falam sobre Jesus. Uma música envolvente, uma guitarra solo impecável tocada por Dean Parks. A canção foi tocada várias vezes nas igrejas. Quem reza cantando, reza duas vezes.


02 – Pergunte Pro Seu Coração (Michael Sullivan/Paulo Massadas)
Arranjo: Lincoln Olivetti/Regência de Cordas: Charlie Calello
A letra da dupla Sullivan e Massadas é linda e gira em torno da situação de sugerir a pessoa amada perguntar ao seu coração para ver o que ele responde. A música tem uma atmosfera muito legal da parte (Pense em mim, e em tudo que eu sentir se você me deixar, eu faço qualquer coisa para você ficar, do jeito que eu sempre imaginei). Roberto disse em entrevista no especial do seu disco Ao Vivo em 88 em entrevista para Léo Jaime, que estava sempre procurando uma forma nova para falar de amor. Interessante é que quando o tema é amor, as formas nunca são as mesmas.

03 – Diga-Me Coisas Bonitas (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo: Ary Sperling/Regência de Cordas: Charlie Calello
As músicas tem uma semelhança na condução. Um estilo que deu certo, não pela vendagem, pois vender o Roberto vende até perfume e disco com música repetida, mas o estilo deu certo pois as músicas agradaram a muitos fãs. Não ficaram como inesquecíveis na memória das pessoas, mas o disco de 91 foi muito bem aceito pelo público. Ary Sperling é um arranjador e compositor de vários temas instrumentais para as novelas da Globo.

04 – Mudança (Biafra/Nilo Pinta/Aloysio Reis)
Arranjo: Eduardo Lages
Eduardo pilota um piano acústico na música do disco que eu mais gosto. A bateria é de Jurim Moreira, o mesmo que tocou no Acústico MTV de 2001, esse ta merecendo uma comunidade não é de hoje, me aguardem. Dean Parks literalmente destrói na guitarra solo. A letra da trinca de compositores é profunda e a canção ficou com uma atmosfera de realmente estar mudando as coisas de lugar, como diz a letra. Essa música fecha o disco com chave de ouro.



Considerações Finais


Na capa, Roberto está com um chapéu, a última vez que tínhamos visto algo do tipo em capa de disco tinha sido em 83. Por sinal, um chapéu semelhante ao que ele colocou no show Emoções Sertanejas em 2009. O disco de 91 é dentro dos padrões RC de qualidade. Um disco gostoso de ouvir, o especial do fim de ano também foi fantástico. Difere de alguns por ter uma participação especial. Aqui também temos o incrível Lincoln Olivetti nos arranjos de Pergunte Pro Seu Coração, George Calandrelli nos arranjos de OH,OH,OH,OH, porém produzida por Roberto Livi. Esse pelo menos é o primeiro disco do rei, pré-acústico 2001 que vejo Jurim Moreira na bateria na música Mudança. Gravado nos estúdios Westlake (Los Angeles), Sigla, Viva Voz e Transamérica (RJ), Lincoln Olivetti, Mix e Crescent Moon que não informam localidades. Fotos: Milton Montenegro.