domingo, 20 de janeiro de 2013

O DISCO AO VIVO DE 1988









Lado A

  1. Abertura (instrumental)
  2. Proposta (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
  3. Emoções (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
  4. Lobo Mau /  Eu sou Terrível / Amante à Moda Antiga (Ernest Mareska – Hamilton di Giorgio / Roberto Carlos / Erasmo Carlos)
  5. Canzone Per Te (Sergio Endrigo / Sergio Bartotti)
  6. Outra Vez (Isolda)


Lado B
1.    Seu Corpo / Café da Manhã / Os Seus Botões / Falando Sério / O Côncavo e o Convexo /  Eu e Ela (Roberto Carlos – Erasmo Carlos / Maurício Duboc – Carlos Colla / Mauro Motta - Róbson Jorge – Lincoln Olivetti)
2.    Detalhes (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
3.    Imagine (John Lennon) *
4.    Ele Está Para Chegar (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)



Acredito que não era somente eu, na época desse disco, que queria ouvir em disco o Roberto Carlos no palco. Algumas vezes cheguei a gravar da TV com um gravador modelo tijolão alguns especiais. Além disso era capaz de dizer para todo mundo na sala ficar quieto.
Nesse disco é possível ouvir a diferença entre Roberto Carlos no estúdio e no palco. Quando um disco é gravado em estúdio, vários takes (tomadas ou vezes) é preciso para que uma música possa ser considerada finalizada. Desde a fase de captação de áudio de cada instrumento, até a regulagem, timbre (graves, médios, agudos e efeitos) até o volume ajustado em cada parte da música, tudo isso é um processo muito demorado. Gravar um disco não é tão simples assim. Roberto é perfeccionista como sabemos. No palco, a atenção é maior ainda, pois, diferente da gravação de um disco, no show não se pára uma música e volta. Mas quando a banda é o RC 9 conduzida pelo Eduardo Lages, é tudo perfeito. A dinâmica da banda é perfeita, sincronia perfeita. Eu queria que nesse disco tivesse a canção “Cavalgada”, pois o arranjo dela é divino. Alguém pode até me falar: Ah, mas a versão de “Cavalgada” ao vivo tem no disco do Pacaembú. Entendo, mas não é no vinil. Fiquei apaixonado por essa versão na primeira vez que vi no especial do Roberto de fim de ano.
Outro ponto alto desse disco é a comunicação de Roberto com o público. Roberto consegue fazer de um texto escrito, um diálogo com o público, bem espontâneo e natural. Eu praticamente decorei o texto desse show de tanto que eu ouvi. O primeiro contato com esse disco foi através de uma fita cassete (pirata), alguns anos depois comprei o LP. Um grande momento do disco é Roberto tocando violão em “Detalhes”, momento bem íntimo do show. Para mim é mais especial ainda pois nessa época eu começava a tocar violão. Várias vezes toquei junto com o disco. Esse disco contém a participação da cantora mirim Gabriela. O disco fecha com uma mensagem ecumênica. Confesso que na época eu muito imitei Roberto na sala dublando esse disco.

Trata-se do primeiro disco ao vivo de Roberto. O disco foi lançado em 1988 no meio do ano. O público foi presenteado então com um especial a mais. O especial foi composto de algumas partes do show no Canecão – Rio de Janeiro acompanhado de uma entrevista a Léo Jaime.
Era o show Detalhes. Aos mais atentos, era parecido com o especial de 1987. O streap tease poético relembrava os tempos da Jovem Guarda até o começo da década de 80. O medley sensual relembrando os sucessos dos anos 70 e 80 é acompanhado de um texto maravilhoso de Ronaldo Boscoli.
Os arranjos são do maestro Eduardo Lages.


Produção Mauro Motta
Arranjos e Regência Eduardo Lages
Textos Ronaldo Boscoli
Gravação e Mixagem – Roberto Marques

Fotos – Mircea Dordea (capa)

Gravado ao vivo no Canecão – Rio de Janeiro
Mixado nos Estúdios Transamérica – Rio de Janeiro
* Convidada Especial – Gabriela