quinta-feira, 1 de novembro de 2012

ROBERTO CARLOS 2012




Amigos, o fim de ano se aproxima. Com ele bate uma saudade de quando corríamos para ouvir a música nova do rei. Da mesma forma que a corte corria para ver a roupa nova do rei. Lembro como se fosse hoje a primeira canção que ouvi do disco (novo) de 1988. Era a canção “O Que é Que Eu Faço”. Ao término da canção o radialista disse: Parabéns Roberto Carlos, isso prova que um rei nunca perde a majestade. Por muitos e muitos anos quando o assunto era o disco novo do Roberto, todos os fãs corriam para as lojas e compravam, mesmo sem escutar música nenhuma. Quem não era fã, corria para a loja e comprava para presentear a mãe, avó, esposa, irmã, caso, rolo, amante, enfim. O que seria isso? Credibilidade. Roberto gravou e lançou muitas músicas e álbuns de qualidade.
Em 2012, conforme já foi noticiado no site oficial do rei, em breve sairá um EP compacto (como eu queria que o disco fosse em vinil) com 4 canções.
São elas
01.     Esse Cara Sou Eu (4:32)
02. Furdúncio (3:45)
03. A Mulher Que Eu Amo (4:05)
04. A Volta (5:08)
Ainda tem gente que reclama que Roberto só gravou duas canções inéditas. Reclamam? É, reclamam sim. Parte desse pessoal é fã que anseia por mais Roberto, mais coisa nova (parte na qual eu me incluo). A outra parte é formado por pessoas que não sabem fazer outra coisa da vida a não ser reclamar.
Pois bem, eu como súdito, ouvi as duas canções no rádio. No rádio com campainha tocando, crianças na rua brincando, caminhão de gás passando na rua, não dá pra ouvir nada com atenção. Mas as 4 horas da madrugada de fone de ouvido, dá para ouvir com atenção, gostar a ponto de me animar a escrever esse texto.
Tem gente que diz que Roberto nunca muda, é só a mesma coisa. Discordo. Se puxarmos pela memória veremos que Roberto ousou bastante em gravar:
Meus Amores da Televisão – country, Nega – samba, Volver – tango, Arrasta uma cadeira – sertanejo, Seres Humanos – rap, Perdoa e Emoções – Jazz, Índia – guarânia (pergunte a um garoto de hoje em dia o que é guarânia), Vê Se Volta Pra Mim – pagode, Oh Meu Imenso Amor – valsa, Não Vou Ficar e Todos Estão Surdos – soul; e agora Furdúncio – Funk. E ainda tem coragem de dizer que o rei não muda? Isso porque eu só exemplifiquei os discos porque nos especiais de fim de ano ele ousou bem mais...
As duas canções novas são legais sim, as ouvi com atenção agora. Gostei sim, sou fã de Roberto Carlos sim. Sou súdito dele sim. As canções são literalmente HIGH QUALITY. Dentro dos padrões RC de qualidade. Não vejo a hora de comprar o disco original (gostaria que fosse um compacto de vinil) mas meu irmão Robert Moura já me disse que dificilmente será nesse formato.
Obrigado desde já Roberto. Nós seus súditos lhe agradecemos. Sugestão: Toca na Praia Grande de Novo, please.

8 comentários:

  1. Pô bicho, que bacana esse post, tô 100% contigo, achei massa demais a ideia de um EP, mas como disse esperava um disco "cheio" na sequência e parece que não vem, as poucas gravadores "grandes" que sobraram no mercado hoje tem muito receio de lançar trabalhos inéditos e não vender, acho que o Roberto pegou isso, o cara era acostumado a vender no mínimo um milhão de cópias de cada lançamento, realidade muito distante hoje. Acho totalmente aceitável que ele não lance mais um disco de inéditas por ano, o tempo de carreira, a idade, o processo de criação de repente fica mais lento até por se tornar mais seletivo também, mas acho que o Roberto podia se espelhar no Paul McCartney em quem ele tanto já se inspirou durante a carreira e ousar um pouquinho mais, gravando projetos alternativos como já disse, de repente um disco de jazz, um disco de clássicos da música brasileira, coisas que ele até já fez regravando Ataupho Alves e Mário Lago, imagina um disco do Roberto cantando samba dos grandes mestres Cartola, Nelson Cavaquinho, talvez um com a turma dos anos 80, Lulu, Paralamas...um disco com o Erasmo...não, deixa eu parar aqui, to sonhando demais.

    ResponderExcluir
  2. Pois é bicho, na realidade eu esperava um compacto no formato físico do vinil. Poxa, já pensou? Mas aí eu estaria sonhando demais. O Paul é o que a gente chama de workaholic, o bicho não pára. Acorda, compõe uma música. Toma o breakfast e grava o que compôs na hora que acordou. Depois do almoço ele faz um documentário sobre o que compôs e gravou na manhã. A tarde, grava um vol 2 da parte da manhã... não dá pra ter tudo que ele fez e faz, rs. Assim fica difícil. Mas segundo eu andei vendo numa revista aí, o ano de 2013 ele iria ficar entre RJ e Miami. Poderíamos esperar um lançamento em espanhol?

    ResponderExcluir
  3. Que venha lançamento em espanhol...desde que seja digno do RC.

    ResponderExcluir
  4. em vinil, pois nos EUA eles fabricam ainda...

    ResponderExcluir
  5. ah, mas não são todos lançamentos, mas quem sabe...

    ResponderExcluir
  6. Além de tudo mano, o que o nosso rei já nos presenteou com belos trabalhos... peguei coisas antigas hoje aqui pra ouvir. Abre Las Ventanas, Y Tu Como Estas, Mudança 91, Jesus Salvador, Meu Menino Jesus (98) não posso ouvir muito por causa do falecimento de meu papai no natal de 90, as novas versões de Negro Gato, Força Estranha, Ilegal Imoral ou Engorda... e estamos sendo presenteados com Esse Cara Sou Eu e Furduncio em pleno 2012... Quero ver quem é o primeiro a falar mal do Roberto que eu dou um murro no meio da boca... hehe. Usando o diálogo do filme Diamante Cor de Rosa. Ih, rapaz, será que o karatê de SP vai funcionar? hehe.

    ResponderExcluir
  7. Ele tem varias alternativas, gravou com Caetano um de bossa nova, poderia gravar com os Mutantes agora, com Paul McCartney, fazer um disco de rock alternativo como Caetano fez no album Cê, enfim o DuDu Braga pode auxilia-lo nesse tipo de investida!

    ResponderExcluir