sábado, 25 de agosto de 2012

O DISCO DE 1990



Lado A
1-    Super Herói (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
2-    Meu Ciúme (Michael Sullivan/Paulo Massadas)
3-    Por Ela (José Manuel Soto) Versão: Biafra/Aloísio Reis
4-    Pobre de Quem Me Tiver Depois de Você (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
5-    Cenário (Eduardo Lages/Paulo Sérgio Valle)

Lado B
1-             Quero Paz (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
2-             Um Mais Um (Gilson/Carlos Colla)
3-             Porque a Gente Se Ama (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
4-    Como As Ondas Voltam Para O Mar (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
5-    Mujer (Roberto Livi/Salako)


 Lado A
1 – Super Herói (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo e teclados: Ary Sperling
Apesar da letra ser realmente um estilo legal, a dupla se coloca na pele daquele cara super protetor que está disponível 24 horas por dia. Boa, a mulherada gosta disso mesmo. Analisando a música, ficou impecável a junção da bateria (de verdade) com o teclado. John Robinson mandou bem nas baquetas. Só faltou mesmo o Abel Laboriel  no baixo. O eco na voz de Roberto aqui ficou fantástico.

2 – Meu Ciúme (Michael Sullivan/Paulo Massadas)
Arranjos e  Teclados: Lincoln Olivetti
Uma composição dos hit makers Sullivan e Massadas é o carro chefe do disco. A dupla de compositores explora o tema ciúme de forma espetacular. De ciúme eu entendo bem, sou de escorpião. A letra mostra uma solução sugerida pelos próprios autores no trecho (...mas pra gente ser feliz eu vou domar meu coração). A música tem uma sonoridade grave, os teclados, bateria, tudo bem distribuído, a regência de cordas ficou por conta de Charlie Calello e de metais por Jerry Hey. Aliás, os metais andavam meio raros nos discos do rei por essa época.

3 – Por Ela (José Manuel Soto) Versão: Biafra/Aloísio Reis
Arranjo: Charlie Calello
As guitarras flamencas ficaram a cargo de Manzanitta e Ramón Stagnaro. Uma ótima música que Roberto poderia usar ao vivo em seus shows hoje em dia. Uma prova da diversidade de ritmos nos discos do rei. A letra narra todas os porquês da devoção pela pessoa amada.

4 – Pobre de Quem Me Tiver Depois de Você (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo: Charlie Calello/ Arranjo de Cordas: Eduardo Lages
A dupla vem com um tema que já foi abordado mais sutilmente em Tente Viver Sem Mim de 86. A letra explora o tema do tipo: Ah é? Fica sem mim pra você ver o que é bom pra tosse! Paulinho da Costa se encarrega da percussão, Robbie Buchanan do piano e baixo e nos teclados Ary Sperling.


5 – Cenário (Eduardo Lages/Paulo Sérgio Valle)
Arranjo e Piano: Eduardo Lages
Mr. Eduardo quando escreve mata a pau. Ele consegue, assim como Roberto e Erasmo, colocar no papel os sentimentos mais profundos e coisas que nunca dizemos, mas que existem em nossas cabeças. A dupla mescla o ser artista com a situação de fã da pessoa amada, a vida a dois aqui é encarada como uma história. No trecho (... são lágrimas de amor que a maquiagem, disfarça mas não muda o personagem, sorrisos tantas vezes encenados, deixados de lado, na vida). Perfeito Lages e Valle. 



Lado B
6 – Quero Paz (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjos e Teclados: Robbie Buchanan
Roberto e Erasmo aqui pedem por paz. A música nunca vai deixar de ser atual. No caso aqui é contra a guerra que Roberto e Erasmo se pronunciam. A dupla já havia falado em 82 em Paz na Terra. Essa música entrou no Especial de 1990 em forma de clipe. A versão em espanhol tem diferenças na mixagem*. 

7 – Um Mais Um (Gilson/Carlos Colla)
Arranjo: Charlie Calello
Uma letra simples, porém a simplicidade não lhe tira o brilho. Gilson e o hit maker Carlos Colla descrevem a situação de uma possível reconciliação, momento em que os pensamentos não são claros na cabeça de quem está separado da pessoa que ama. No trecho (deixa eu te abraçar por uma noite só) é o gancho para tentar terminar o assunto na manhã seguinte. Seria um dos estilos de letra de Roberto e Erasmo. Antes do final da música, há uma subida de tom, Roberto também é mestre nisso.

8 – Porque a Gente Se Ama (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo e Regência de Cordas Charlie Calello
Roberto e Erasmo tentam resgatar aqui em tema a sensualidade das músicas dos anos 80. A música em si, tem uma atmosfera muito boa. Aqui é possível ouvir Roberto cantando consigo mesmo. Uma das milhares de coisas de se dizer para este disco, é que o disco é agradabilíssimo de se ouvir. A dupla de compositores de uma certa forma se superam nessa letra. O trecho (A gente se encosta e até sai faísca...) mostra isso.

9 – Como As Ondas Voltam Para O Mar (Roberto Carlos/Erasmo Carlos)
Arranjo: Charlie Calello
A tecladeira assume o disco mais uma vez. A letra fala em voltar para os braços da pessoa amada. Abordagem usada também na canção (Como as Ondas do Mar de 88).

10 – Mujer (Roberto Livi/Salako)
Não há arranjo creditado no disco.
Música de Roberto Livi que fez parte da trilha sonora internacional da novela Luia Cheia de Amor. Música bastante veiculada no rádio também. Essa canção quebra a idéia de que as músicas mais fracas ficam para o fim do disco.

Considerações Finais
Na capa predominam as cores branca e azul. Roberto tem um estilão só dele para capa. Não sei se eu já disse isso em outro post, mas ele criou elementos que viraram marca registrada em suas capas, a moldura, a foto, o figurino, foto em ambiente externo ou estúdio as capas de seus discos (ainda mais em vinil) causam um impacto de que o disco em mãos se trata de um artigo fino. Roberto entra na década de 90 com um disco ímpar. A produção é do próprio Roberto com exceção de Mujer por Roberto Livi, Super-Herói foi produzida por Sergio Lopes e Por Ela produzida por Mauro Motta. A produção do disco nos dá vontade de ouvir Roberto produzindo mais e imaginar como seria a produção dele próprio em outros discos da sua carreira. A sonoridade aqui está mais encorpada. Voltando no ano de 1990, o disco anterior, 89, Amazônia tinha tido um sucesso razoável. Particularmente, lembro do disco de 1990 chegando na loja de discos em que eu trabalhava no Itaim Bibi, aqui em São Paulo. O fim do ano estava próximo. Era meu segundo emprego. Aquele ano de 1990 meu pai me perguntou se eu queria trabalhar com ele onde ele trabalhava. A loja de discos. Inesquecível foi aquele ano em que passávamos o dia inteiro juntos. Era tudo novo pra mim, pegar ônibus, ir trabalhar, com o meu pai. Alguns meses se passaram até que nas vésperas do natal, meu pai começou a passar mal e no dia 24 de dezembro, uma Ebulia Pulmonar acabou o levando. Não assisti esse especial direito, até porque foi no dia 25, mas tenho gravado em VHS.
O disco é obrigatório para toda pessoa que se diz fã de Roberto. A sonoridade do disco está mais encorpada, Roberto canta consigo mesmo em overdub, há a diversidade de estilos e aqui temos o próprio Roberto produzindo. Gravado nos estúdios Westlake e 55 (Los Angeles), Criteria (Miami), Sigla e Transamérica (RJ). Fotos de Nicola Dill.