segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

BARATTA EM RITMO DE AVENTURA

Escuto Roberto Carlos desde a minha infância. A primeira lembrança que tenho é do disco de 1969 e o de 1978, detalhe é que nasci em 1974. Em sua obra, sempre tudo me chamou a atenção, a interpretação, a voz, as letras, os arranjos, a escolha no repertório do disco, as performances ao vivo, a atuação nos filmes, os shows que eu assisti, de maneira que comecei a colecionar recortes, reportagens, assim como faço ate hoje também com os Beatles, Elvis Presley, Michael Jackson e Kiss.
Mas em especial na coleção do Roberto, fã que é fã coleciona tudo que vê pela frente, desde página de revista de sala de espera de dentista até o que encontrar no lixo propriamente dito.
Um dia lá por 1991 eu vejo a foto do Roberto em uma página do antológico jornal Notícias Populares com a manchete: Roberto faz 50 anos de idade. Olha só o que ele ganhou. PRESENTÃO: FILHO DE 25 ANOS. A notícia era sobre o reconhecimento do seu quarto filho Rafael Braga, que mais tarde gravou um disco, sem a ajuda do pai, uma pessoa que eu gostaria de conhecer um dia pessoalmente um dia também.
O jornal está comigo até hoje como o leitor pode ver na foto. Mas esse item da minha coleção tem uma particularidade muito especial. Nesse jornal vinha uma cópia do documento onde ele reconhecia o Rafael. No documento, vinha o endereço comercial do rei. O jornal está com a data de 16 de abril de 1991. Creio que um ou dois anos depois eu revendo esse recorte novamente, o endereço ficava perto da onde eu trabalhava de Office boy. Eu embaçava, ou melhor, trabalhava andando pelas ruas de São Paulo com envelope... boné... Andava com fichas e mais fichas telefônicas para ligar para a namorada da época... lá era uma gráfica e copiadora. Eis que na rua em que eu trabalhava há o monumental hotel Sheraton Mofarrej, onde se concentravam muitas pessoas na ocasião da vinda do Michael Jackson ao Brasil. Região da avenida Paulista, tudo muito chique, carros importados, gente para lá e para cá...